domingo, 11 de agosto de 2013

Christopher Nolan




Pra mim, uma coisa já é certa. Quando paro pra assistir um filme de Christopher Nolan, deixo minha mente aberta e assisto o filme com muita cautela e atenção, pois sei que o que estou vendo pode não ser real, ou não.
O diretor inglês sabe mais do que qualquer diretor nos envolver em tramas cheias de jogos psicológicos, reviravoltas de roteiro, personagens marcantes, truques. Por essas e outras que ele é considerado um dos melhores e mais rentáveis profissionais de Hollywood. Além de ser um dos meus cineastas preferidos.

____________________________________________________________________________


Christopher Jonathan James Nolan nasceu em Londres no dia 30 de Julho de 1970 (mesmo dia do ano em que nasceu esse que vos fala, só que em 1994), filho de um britânico e uma norte americana. 
Tem dois irmãos, sendo que um deles é Jonathan Nolan, parceiro em muitos de seus filmes, na parte de roteiro. É casado com Emma Thomas, produtora de seus filmes, e com ela tem quatro filhos e juntos vivem em Los Angeles, Califórnia.

____________________________________________________________________________

Nolan tem nove filmes em sua carreira até então, uns como diretor e outros como produtor. Desses nove, assisti sete e vou falar um pouco mais sobre eles pra vocês.

  • Following -1998


Esse eu não assisti. É o primeiro filme do cineasta, filmado em preto e branco e com um baixíssimo orçamento, sendo utilizado ruas de Londres e casas de amigos como locações. Usa de uma estrutura não-linear para contar o enredo, técnica que seria utilizada pelo diretor em outros filmes.
O filme conta a história de um escritor que "segue" algumas pessoas para buscar inspirações para seus livros. Até que um dia ele encontra um ladrão que lhe induz a "seguir" a mesma vida dele. Maravilhado com o estilo de vida do ladrão, o escritor então começa a "segui-lo".
O filme foi recebido com críticas geralmente positivas, com índice de aprovação de 76% no Rotten Tomatoes, com nota média de 7,1/10.

  • Memento (Amnésia) - 2000



Esse eu assisti recentemente. Ótimo, por sinal.
Foi baseado no conto "Memento Mori" de seu irmão, Jonathan Nolan. É estrelado por Guy Pearce (Priscila, a Rainha do Deserto e Prometheus) que na época ainda não tinha status de celebridade. Ele interpreta Leonard Shelby, um homem que sofre de amnésia anterógrada (igual a Dory, de Procurando Nemo), impossibilitando que ele adquira novas memórias.
O filme tem duas narrativas: uma em preto e branco, nas quais são mostradas em sequências cronológicas, que mostram Leonard conversando com alguém ao telefone. A outra, colorida, mostra os acontecimentos em ordem reversa. Essas cenas mostram a investigação de Leonard a procura do assassino de sua esposa e causador de sua doença. No fim do filme, as narrativas se encontram.
No elenco ainda temos Carrie-Anne Moss e Joe Pantoliano , vindos de Matrix.
Nessa obra, Nolan consegue fazer com que você fique intrigado, cheio de dúvidas. Afinal, que está falando a verdade? Quem está mentindo? Pode se contar é claro com as reviravoltas, que não são poucas.
Nota-se pouca técnica ainda com relação a fotografia e a trilha sonora, mas a edição e o roteiro do filme são excelentes, tanto que ambas categorias foram indicadas ao Oscar, merecidamente.
Foi extremamente aclamado pela crítica internacional. No site Rotten Tomatoes, possui um índice de aprovação de 93%, com média de 8,1/10, o que o torna um dos melhores filmes do diretor.Apareceu em diversas listas de melhores filmes, sempre citando sua construção, originalidade e inteligência.

  • Insomnia (Insônia) - 2002




Esse não assisti, mas pretendo muito. Foi baseado em uma obra norueguesa de 1997, mas com muitas adaptações e mudanças. Conta com atores oscarizados e uma produção mais elaborada.
Will Dormer (Al Pacino) é um policial enviado para uma pequena cidade do Alasca onde, em meio às investigações em torno do assassinato de uma adolescente, acaba atirando acidentalmente em Hap Eckhart (Martin Donovan), seu próprio parceiro, enquanto tentava apreender um suspeito. Consumido pela culpa, Dormer ganha inesperadamente um álibi, fornecido pela própria polícia, que acaba aumentando ainda mais sua sensação de culpa por causa da morte de Eckhart. Ainda tendo que resolver o caso do assassinato da adolescente, Dormer passa a ser chantageado por Walter Finch (Robin Williams), o suspeito que tentava prender, que o acusa de ter armado a situação para que não fosse condenado pela morte de seu parceiro. Enquanto isso, Ellie Burr (Hilary Swank), uma detetive local, resolve iniciar uma investigação por conta própria para descobrir o que realmente aconteceu entre Dormer e Eckhart.

Foi também muito bem recebido pela crítica, com aprovação de 92% no site Rotten Tomatoes. com média de 7,7/10. A aprovação veio por causa das excelentes atuações, principalmente de Al Pacino, e sua esperteza enquanto drama psicológico.


  • Batman Begins - 2005


É óbvio que eu assisti. Muito bom.
Depois de quase dez anos do fiasco que foi Batman & Robin, de 1997 (fiasco para a crítica e imprensa, mas apenas legal pra mim u.u), dirigido por Joel Schumacher e premiado com muitas Framboesas de Ouro, a Warner decidiu tirar o herói da gaveta e entregou a responsabilidade de recontar a história do homem-morcego para Nolan.
O cineasta decidiu por fazer algo mais sombrio e realista, além de muita ação. Coisa que não agradaram muito algumas pessoas que preferiam as comédias pastelões e fortes cores dos filmes dos anos 1990. Pra mim, um fã do super-herói, foi perfeito e necessário.
O filme conta a história de Bruce Wayne (Christian Bale, de Psicopata Americano), a perda de seus pais, seus medos, entre eles o de morcego, e como surgiu a figura de Batman. Na história, Batman conta com dois vilões: Henri Ducard (Liam Neeson, de A Lista de Schindler e Fúria de Titãs), que na realidade é Ra's Al Ghul disfarçado e principal antagonista do filme, que ensinou as técnicas de artes marciais para Bruce; e Dr. Jonathan Crane, o Espantalho (Cillian Murphy, de A Origem), que faz uma toxina que induz o medo nas pessoas.
Recebido positivamente pela crítica, possui aprovação de 85% no Rotten Tomatoes, média de 7,7/10. Esse fato ocorreu pela forma mais realista e sombria que o herói foi retratado, o que mudaria drasticamente a forma de contar histórias em quadrinhos no cinema. Isso tudo sem deixar de lado a inteligência e a excitação. Recebeu uma indicação ao Oscar na categoria de Melhor Fotografia e conta com a trilha magnífica de Hans Zimmer e meses depois da estreia foi apontado pela revista Empire como um dos melhores filmes de todos os tempos. Exagero.
Embora foi considerado bem nas bilheterias, foi a menor arrecadação da trilogia.
E, pra mim, o pior da série, o que não coloca no posto de ruim, já que a trilogia é excelente!!

  • The Prestige (O Grande Truque) - 2006

Esse eu assisti. Quase Perfeito!
Com o roteiro adaptado do livro homônimo de 1995, do escritor Christopher Priest. A história segue Robert Angier (Hugh Jackman, de Wolwerine) e Alfred Borden (Christian Bale, de Batman Begins), mágicos rivais de Londres no final do século XIX. Obcecados em criar o melhor truque de ilusão, eles iniciam uma competição com trágicos resultados.
Essa rivalidade vem desde muito tempo, quando os dois eram assistentes de um mágico e em uma das apresentações a esposa de Angier morre afogada em um truque de escapismo, e este coloca a culpa em Borden.
Após alguns anos, ambos se estabelecem como ilusionistas. Angier, na classe aristocrata e Borden, na classe operária. Mas, ambos com truques muito bons, fazendo com que um tentasse atrapalhar a apresentação do outro.
O que você acha que deu a mistura de Christopher Nolan e ilusionismo? Muita doideira e truques de enredo poderosos, é claro. Um dos filmes mais instigantes e inteligentes que já vi, com certeza. Atuações e ambientações boas, além de efeitos especiais muito bem utilizados. Sacadas espertas que se não bem percebidas, fazem o espectador ficar cheio de dúvidas.
Foi, como todos os outros filmes de Nolan, bem recebidos pela crítica. Embora não tanto quanto. No site Rotten Tomatoes, recebeu a aprovação de 76%, com média de 7,1/10. Talvez pelo fato de que em 2006 outros dois filmes sobre ilusionismo foram lançados, O Ilusionista (que é mais ou menos, aliás) e Scoop. 
Recebeu duas indicações ao Oscar, de Melhor Fotografia e Melhor Direção de Arte.



  • The Dark Knight (O Cavaleiro das Trevas) - 2008


Assisti e ainda assisto com o mesmo entusiamo!!!
É a segunda parte da trilogia, e introduz novos personagens, como Harvey Dent (Aaron Eckhart, de Erin Brockovich), promotor público de Gotham e que após acontecimentos se torna o vilão Duas Caras; e o famoso Coringa (Heath Ledger, de O Segredo de Brockeback Mountain).
Bom, acho que não preciso dizer mais nada, não é?
Acho que todos que estão lendo esse post já viu esse filme.
Na minha humilde opinião, o melhor filme de Nolan. E não é só a minha não, no site Rotten Tomatoes o filme possui aprovação de 94%, com nota média de 8,4/10. Todas as críticas apontavam muito para a perturbada e excelente atuação de Heath Ledger, que ficou um mês trancado em um quarto de hotel formulando a personalidade de Coringa e que infelizmente morreu alguns meses antes da estreia do filme e não pôde ver o maior sucesso de sua vida.
O filme recebeu 8 indicações ao Oscar, vencendo as categorias de Melhor Ator Cadjuvante, para Heath Ledger, postumamente, e de Melhor Edição de Som. Muitos contestaram as não indicações a Melhor Filme e Melhor Diretor, para Chris Nolan.
O filme foi o quarto a bater a marca de 1 bilhão de dólares arrecadados em bilheteria, sendo assim a maior bilheteria do ano. Atualmente o filme está na 16ª posição na lista de maiores bilheterias de todos os tempos.
Essa era a maior arrecadação da carreira de Nola, até então.

  • Inception (A Origem) - 2010



Vi. Revi. Rerrevi e reveverei.
Uma ficção-científica de prato cheio. Cara, como gosto desse filme.
Após o sucesso de The Dark Knight, a Warner deu carta branca e abriu seus cofres para que Nolan fizesse o que quisesse. 
O filme traz Leonardo Dicaprio (de Titanic, em sua primeira colaboração com Nolan) no papel de Dom Cobb, um ladrão especializado em extrair informações do inconsciente dos seus alvos durante o sonho. Incapaz de visitar seus filhos, Cobb tem a chance de  chance de vê-los em troca de um último trabalho: fazer uma inserção, ou seja, implantar a origem de uma ideia na mente de um rival na mente de um rival de seu cliente.
Reviravoltas, sonho ou realidade. Um elenco ótimo, com participações de Michael Cane (Batman e O Grande Truque)  e Ellen Page (Juno e X-Men), além da minha futura esposa, Marion Cottilard (Piaf - Um Hino ao Amor e Meia Noite em Paris).
Com roteiro brilhante, o filme não daqueles que é pra assistir por assistir, mas sim para pensar no que acabou de ver, refletir. O final então, um dos melhores finais do cinema, com a pomposa trilha de Hans Zimmer, em mais uma parceria com Nolan.
O filme foi bem recebido pela crítica e chegou a ser comparado a Matrix. No site Rotten Tomatoes, o filme tem a aprovação de 86%, com média 8/10. Recebeu 8 indicações ao Oscar, entre eles de Melhor Filme, tendo ganhado 4, de Melhores Efeitos Especiais, Melhor Fotografia, Melhor Edição de Som e Melhor Mixagem de Som. Porém, novamente Chris foi esquecido na categoria de Melhor Diretor.
Bilheteria ótima. Arrecadou 531 milhões de dólares. O segundo mais rentável de Nolan até então.

  • The Dark Knight Rises (O Cavaleiro das Trevas Ressurge) - 2012

Vi, com cinco estrelas nos olhos.
Dando fim a trilogia, Nolan traz novamente novos personagens das HQs, Bane (Tom Hardy, de A Origem), Selina Kyle (Anne Hathaway, de Les Miserábles), e novamente minha esposa Marion Cotillard (de A Origem) como Miranda Tate/Talia Al Ghul (meio spoiler esses nomes).
Depois de oito anos dos acontecimentos de The Dark Kinght, Batman não apareceu mais desde que assumiu a culpa pela morte de Harvey Dent. Bane, o vilão do filme, chega a Gotham City como o novo controlador da Liga das Sombras, antes controlada por Ra's Al Ghul, para destruir a cidade, sonho do vilão do primeiro filme Batman Begins. Com ajuda da Selina, a Mulher Gato, o cavaleiro das trevas ressurge para combater o mal (meio power rangers essa frase).
Depois de muitas explosões, cenas e diálogos épicos, o filme termina com honra e dignidade a trilogia. Embora muitos digam que o episódio anterior tenha sido melhor, o que não deixa de ser verdade, TDKR tem o seu valor, e é excelente. Efeitos maravilhosos e a Hans Zimmer mais inspirado do que nunca.
As atuações não foram tão aclamadas, pelo contrário, a morte Marion Cottilard foi eleita como a pior e mais mal feita por muita gente. O único que se salva é Michael Cane, como Alfred, o fiel escudeiro de Bruce.
Eu, particularmente, não deixei que isso atrapalhasse o filme, e achei ótimo.
O filme, apesar de algumas incongruências, recebeu boas críticas. Tem 88% de aprovação no Rotten Tomatoes, com média de 8/10. Além disso, mesmo com a tragédia no cinema que ocorreu nos EUA, foi super bem nas bilheterias. Arrecadou 1 bilhão e 80 milhões de dólares, um pouco mais que seu antecessor.
Curiosamente e surpreendentemente, o filme não recebeu nenhuma indicação ao Oscar, nem ao menos na categoria de Efeitos Especiais, onde o filme foi muito bem sucedido.


  • Man Of Steel (Homem de Aço) - 2013 



Vi, e curti bastante.
Nesse filme, Nolan não foi o diretor (o posto ficou com Zack Snyder, de 300 e Watchmen), mas deu muitos pitacos como roteirista e produtor. Por isso, é incluído na sua filmografia.
O filme refaz a história de Kal-El (Super-Homem/Clark Kent), kriptoniano enviado para a Terra pelos pais depois de seu planeta natal ser destruído. Enfim, todos sabem a história.
A novidade é que um vilão diferente de Lex Luthor, que foi massivamente usado anteriormente. Dessa vez é General Zod, kriptoniano com os mesmos poderes de Clark.
Trilha-sonora (mas uma vez de Hans), efeitos especiais e tensão são ótimos! A história também, apesar de algumas mudanças e pelo bombardeio de informações, para o público se familiarizar.
As críticas foram mistas. No Rotten Tomatoes, tem 56% de aprovação, recebendo um tomate podre (figura do site para marcar filmes ruins), com média de 6,2/10.
Com isso, é o pior filme na carreira de Nolan segundo o site.
A bilheteria foi boa, cerca de 650 milhões de dólares.


Essas foram as obras primas de Christopher Nolan, um dos meus cineastas preferidos e fonte de inspirações. Ainda mais porque nasceu no dia 30 de julho. =)
É muito criativo, produtivo e inteligente. Ele trabalha sempre com os mesmo atores, dando uma unidade no seu trabalho.
Em 2014, lançará um filme chamado Interstellar, que envolverá viagens no espaço e no tempo, e realidades paralelas. Ele mesmo disse que vai se inspirar muito em 2001: Uma Odisseia no Espaço. Além disso, muitos atores que já trabalharam em filmes anteriores do cineasta estão confirmados. Ou seja, um ótimo filme vem por aí.
Recomendação máxima!






Nenhum comentário:

Postar um comentário